Carlos Andrade é o autor do hino oficial de Teixeira de Freitas

“Na verdade, eu sou um forasteiro que encontrou no seio deste chão um abrigo seguro, um futuro, um norte na cidade mais importante do extremo sul”

 

A grande final para a escolha do hino oficial de Teixeira de Freitas aconteceu na noite do dia 29/11, a partir das 19h30min, no auditório da Câmara Municipal. E Carlos Alberto Andrade foi o grande vencedor do concurso, levando o prêmio de R$ 3 mil, além de ter o nome cravado para sempre na história da cidade. O segundo e o terceiro lugares ficaram, respectivamente, com João Carlos e a professora Josinéa Amparo Rocha, que receberam R$ 1.500 e 1.000. Mas todos os participantes, inclusive os das comissões julgadora e organizadora, receberam certificado de participação. A grande final contou ainda com a participação de A. Zarfeg e Roger Lima. O itanheense Carlos Andrade, além de redator do jornal Tribuna Independente, é radialista e editor do site gospel Paz e Graça. Ele compôs a letra e a melodia do hino. A interpretação coube à jovem Gleiciane Matos, que conquistou a todos com sua voz afinada. “No começo eu não estava motivado a participar do concurso, tendo subestimado meu potencial. Quem é compositor sabe que, assim que propomos a trabalhar na criação de uma música, o subconsciente começa de maneira sutil a trabalhar em torno do projeto. Foi justamente isso que aconteceu. Eu estava redigindo uma coluna para o jornal quando, de repente, me veio a inspiração. Parei tudo e iniciei a primeira fase da letra. Em seguida, veio a melodia, e pronto. O hino nasceu. Só aí senti que ele tinha um poder competitivo muito forte”, declarou Carlos Andrade à reportagem do Itanhémfest. Ainda segundo Carlos Andrade, a composição do hino partiu do sentimento de gratidão pela maneira como os teixeirenses o receberam há cerca de três anos, quando ele e sua família se mudaram para Teixeira de Freitas. “Na verdade, eu sou um forasteiro que encontrou no seio deste chão um abrigo seguro, um futuro, um norte na cidade mais importante do extremo sul”, acrescentou. De São José a Teixeira Altos cedros campos verdejantes Pau-Brasil, Juçara, Ipê e Gerivá Imponente verde Mata Atlântica Dá-me a pólis dos cernes teus São José, estrela clara e bela Sobre os ombros desta geração brotou Dos Nascimentos, Oliveiras, Guerras, Almeida, Antunes, eis o teu fulgor Muito além de todo o entendimento Alto mais alto que o pensamento Belo dia em que nasceste, ó terra minha Vem inflama, viva chama Em meu peito se agiganta Teixeira, Teixeira Entre Flores, frutos e montanhas O rio Itanhém te amamentou em paz Se multiplicam os filhos deste solo Na pujante glória do teu amanhã Oh, que tesouros infindos brotaram No crescente fértil da 101 Precioso abrigo, um lugar seguro Um farol, um norte em pleno extremo sul Muito além de todo o entendimento Alto mais alto que o pensamento Belo dia em que nasceste, ó terra minha Vem inflama, viva chama Em meu peito se agiganta Teixeira, Teixeira, Teixeira de Freitaaaaaas Letra e música: Carlos Alberto Andrade

Notícia Postada em 03/12/2007
Comente esta notícia: