POLÍTICA
Wagner pressiona prefeitos para não votar em mim, diz César Borges

 

O senador César Borges concedeu hoje (20/09) uma entrevista coletiva para jornalistas e blogueiros de todo o estado através da Twitcam, sistema de envio de imagens e sons através da rede de relacionamentos via internet Twitter. Quase 30 profissionais de mídia convidados pela assessoria do senador e candidato à reeleição participaram do bate-papo, que teve temática livre e tratou das mais diversas questões ligadas à campanha e à gestão pública. Mesmo sem dar muito crédito às pesquisas, “por conta de uma série de fatos recentes que mostram que no Brasil os institutos não têm conseguido ter precisão”, César se disse feliz por estar em primeiro lugar em todos os levantamentos. Referindo-se à dupla de candidatos ao Senado apoiada pelo governador Wagner, emendou: “Tem muitos prefeitos amigos meus que votam com o governador e que querem dar o voto a mim, mas que estão sendo pressionados pelo governo. Lula e Dilma não deixam de ter uma influência, mas, apesar de todos esses ataques e de todos esses instrumentos, eu tenho me mantido em primeiro”, afirmou. “Gostaria de agradecer a vocês por atenderem a nosso convite e espero que essa coletiva, através dessa importante rede social sirva ainda mais para esclarecer o eleitor a fim de os baianos possam fazer em 3 de outubro a melhor escolha para o estado”, afirmou o senador na abertura do link, por volta das 11h20. Logo na primeira pergunta, César Borges criticou a postura da Câmara dos Deputados, que segundo ele não tem tido agilidade para votar matérias de grande interesse da nação. “A Câmara é muito lenta. Por exemplo, está parada lá a reforma tributária, que é um assunto fundamental para o país. Não dá para continuar com os municípios recebendo tão pouco enquanto o governo federal fica com a maior parte dos recursos arrecadados”, afirmou. O senador afirmou ainda que a reforma tributária é uma de suas prioridades, casos seja reeleito. Além dessa matéria, ele considera que é preciso aprovar rapidamente a reforma política. Questionado pelo repórter do jornal Tribuna da Conquista se concorda que as Assembleias Legislativas sejam as responsáveis por definir sobre a criação de novos municípios, ele informou que sim. “Acho que isso cabe mesmo às assembleias, mas eu integro uma frente parlamentar que tem o objetivo de definir critérios para a criação de novos municípios. As assembleias ficariam, então, com a incumbência de avaliar se os pedidos atendem a esses critérios.” Fonte: Redeflecha

Notícia Postada em 21/09/2010
Comente esta notícia: