Ditador norte-coreano recria 'harém' particular

 

O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, de 32 anos, acaba de restabelecer uma “tradição“ que remonta à época de seu avô, Kim Il-sung, o fundador da Coreia do Norte: ter um harém. O líder ordenou que seja criada a sua “trupe do prazer” com jovens mulheres. De acordo com o jornal O Globo, para isso, funcionários do governo irão percorrer o país em busca das mais belas beldades que possam satisfazer o apetite sexual do ditador. Mesmo sendo casado com uma ex-cantora e pai de uma filhinha de poucos meses, Kim decidiu não abrir mão de seguir a tradição familiar. Seu pai, Kim Jong-iI, que governou o país por 17 anos, manteve suas concubinas no palácio até a sua morte, em 2011, quando o harém foi desmantelado. Segundo o jornal sul-coreano “Chosun Ilbo”, as ex-amantes receberam cada uma US$ 4 mil — uma grande quantia na empobrecida Coreia do Norte, onde a renda per capita anual é de menos de US$ 2 mil — e vários aparelhos eletrodomésticos como compensação. “Isso tem acontecido há três gerações e se tornou uma tradição, além de uma demonstração de poder sobre a população e poder sexual”, opina Toshimitsu Shigemura, professor na Universidade Waseda de Tóquio, em entrevista ao “Daily Telegraph”. O trabalho dos funcionários é encontrar jovens mulheres atraentes, uma média de 30 a 40 por ano, porque o harém sempre é renovado. Quando elas vão se aproximando dos 25 anos, costumam ser “aposentadas” das funções na cama e passam a trabalhar nas forças de segurança ou como funcionárias do governo. Ou podem também ser passadas adiante a altos funcionários. Também não está claro a idade mínima e máxima das candidatas e se elas poderão recusar o convite ou serão obrigadas a deixar suas famílias para viver no palácio do ditador. Após a seleção prévia, todas deverão passar por uma entrevista com Kim, e poderão desempenhar funções como empregadas, cantoras ou dançarinas. As mais bonitas não escaparão do destino de serem concubinas. Bahianoticias

Notícia Postada em 04/04/2015
Comente esta notícia: