Zarfeg dedica um “Vira & Verso” aos poetas mineiros Wilmar Silva e Bianka Andrade

 

Por Itanhemfest


Wilmar e Bianka recitam poemas do livro Desejada Dor

O poeta e jornalista baiano Almir Zarfeg acaba de dedicar um “Vira & Verso” especial, programa que escreve e apresenta no rádio e na internet, aos poetas mineiros Wilmar Silva de Andrade e Bianka de Andrade Silva. Os dois se casaram recentemente. “Digamos que este é meu presente de casamento para os dois poetas e, sobretudo, para o amor que os uniu”, afirmou Zarfeg. Essa 25ª edição do programa – que tem como fundo a canção “íris retinas” do próprio Wilmar e a participação de Gilvânia Afonso da Silva, irmã de Zarfeg – funciona como uma celebração do amor que uniu os dois poetas. A saber, “um amor feito de sentimento e linguagem, werso e wida”.


Wilmar Silva recitando um de seus poemas

Ao saber da homenagem, o casal de poetas fez questão de agradecer: “Obrigado pela homenagem. Sim, gostamos muito da mixturação. Abraços ao duplo”. Zarfeg e Wilmar se conheceram no início dos anos 90, na capital mineira, na Rua da Bahia, durante as inesquecíveis reuniões da Associação dos Poetas e Produtores Artísticos (ASBRAPA). Ali, cerca de dez jovens poetas se reunia uma vez a cada quinze dias para viver um intenso “caso de amor com a literatura”. Os anos colloridos se foram, a associação acabou, Aguilar Pinheiro se tornou neurolinguista, Zarfeg retornou à Bahia, mas os dois poetas continuaram se correspondendo, via postal e, mais recentemente, pela internet. Wilmar Silva se firmou no cenário literário com uma poética instigante tanto do ponto de vista do conteúdo quanto do da expressão. Em livros como Dissonâncias, Anu, Cachaprego, Estilhaços no lago de púrpura e Z a Zero, gradativamente, se processou uma revolução estilística que continua conquistando admiradores aquém e além-mar.


Bianka e Wilmar, que se casaram recentemente

“O caso de amor de Wilmar com a literatura brasileira, de tão inédito, segue à espera de um estudo crítico à altura”, pontuou Zarfeg. Mas o poeta Wilmar, ao longo desses mais de 25 anos de trajetória, agregou outras facetas: a do ator performático, editor comprometido, apresentador radiofônico e a do curador do Projeto Terças Poéticas do Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Eis que, para fechar um ciclo ou dar início a outro – só o tempo dirá isso –, surge Bianka de Andrade Silva na vida do poeta. Ela é autora do surpreendente Desejada Dor e, neste momento, cursa o mestrado em Teoria Literária pela UFMG. “Que o caso de amor de Wilmar com Bianka seja tão eterno quanto é o caso amoroso dele com a poesia”, concluiu Zarfeg. Ouça o “Vira & Verso” AQUI

Notícia Postada em 12/11/2013
Comente esta notícia: