Os males da alma e a necessidade de procurar um bom psiquiatra

 

A imprensa do mundo todo tem destinado um espaço bastante significativo nas mídias para falar sobre os males da alma. Várias são as fórmulas mostradas para tratar a ansiedade, depressão, fobias e até mesmo melhorar a autoestima entre diversos tipos de público e faixas etárias. O Fantástico, programa dominical da Globo, mostrou a nova série de Drauzio Varella, que trata desses males. Já era sem tempo, pois a Organização Mundial da Saúde prevê que em 2020, a depressão, que já atinge 350 milhões de pessoas em todo o planeta, será responsável pelo maior número de incapacitados no mundo. A grande problemática no tratamento desses males está relacionada à péssima qualidade de profissionais. Muitos médicos, sem especialização na área e, portanto, herméticos, não conseguem diagnosticar o paciente corretamente para identificar qual o seu verdadeiro problema. E não faço referência aqui a tempo inadequado de tratamento, pular doses, efeitos colaterais que fazem com que pacientes interrompam a medicação, interação medicamentosas, a questão genética e outras condições médicas. Sabe-se que muitas pessoas desistem do tratamento antes mesmo de encontrar o caminho certo e até fazem a desaceleração por conta própria, mas o remédio errado ou a dose errada de antidepressivos causa sério desconforto ao paciente, que ele acaba desistindo. Por esta razão, o melhor mesmo é procurar um psiquiatra, preferencialmente aquele que, ao optar pela medicina, se especializou imediatamente na área. Procure informações sobre o profissional no sentido de saber se ele estar antenado com as evoluções da psiquiatria. Procure saber ainda se ele apenas sabe prescrever medicamentos ou se, concomitantemente com as drogas farmacológicas, orienta seus pacientes a procurarem mecanismos que amenizem seus problemas psicológicos, como as psicoterapias, por exemplo, que são muito importantes para um resultado rápido e eficaz. A escolha de um bom profissional é importantíssima, pois algumas pessoas são erradamente diagnosticadas por médicos que fazem a função do verdadeiro psiquiatra e, nesses casos, a defesa do “profissional” é a de que aquele paciente está com um tipo de depressão resistente ao tratamento. O paciente pode, na verdade, ter um outro problema, como transtorno bipolar ou um transtorno de ansiedade, por exemplo. Por esta razão é muito importante que um especialista da mais alta estirpe seja consultado. A cidade de Teófilo Otoni, em Minas Gerais, localizada no Vale do Mucuri, é referência em psiquiatria. Entre quase uma dezena de bons psiquiatras que lá existe está o doutor Walcir Costa, um anjo de luz e sensibilidade, que há 25 anos estuda e cuida a existência humana. Quando estive diante de um desses males sorrateiros, que invadem os cantos mais profundos e enigmáticos da alma, e depois de tanto sofrer nas mãos de médicos inexperientes e irresponsáveis, que insistem em fazer o papel do verdadeiro psiquiatra, encontrei o profissionalismo e a atitude cristalina do doutor Walcir, que não atirou em mim apenas as drogas farmacológicas, tanto necessárias naquele momento. Ele olhou para minha alma com os olhos de um ser calmo e magnânimo... e foi além, ensinando-me o caminho da serenidade para enfrentar a temível ansiedade, tornando-se um arcanjo, um pacificador da alma. Por Edelvânio Pinheiro é jornalista.

Notícia Postada em 09/04/2013
Comente esta notícia: