EMBASA faz reunião para discutir alternativas para o esgotamento sanitário de Itanhém

 

Por Itanhemfest

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A. (EMBASA) realizou, na última quarta-feira (14/9), na Câmara Municipal de Itanhém, uma reunião pública para discutir alternativas para o Projeto Básico de Implantação do Sistema de Esgotamento Sanitário de Itanhém. O evento contou com os seguintes representantes da EMBASA: Carlos Alberto (Departamento de Orçamentos), Tâmara Coimbra ( Departamento de Ações Comunitárias), Wladimir Vieira (Departamento de Projetos), Susie Dourado (Departamento Ações Ambientais), Lenilson Campos (Representante Embasa regional de Itamaraju) e Maria da Conceição Menezes (Gerente da Embasa de Itanhém). A reunião foi prestigiada também pelo presidente da Câmara Municipal Roberth Caires, pelo vice-prefeito Alfim do Nascimento, secretários municipais Liebeto Gonçalves, Adalberto Correia e os vereadores Valdebeck e Delzivan. Júlio Cezar, representante da YC Engenharia, tomou parte no encontro. Audrey Correia, presidente da CDL, e o público em geral também se fizeram presentes. A YC Engenharia é de Belo Horizonte e ganhou a licitação para fazer o Projeto Básico do Sistema de Esgotamento Sanitário de Itanhém.

O presidente da Câmara Roberth Caires afirmou que estava muito feliz em participar de um evento tão importante para a população de Itanhém. “Quando o Executivo nos apresentou o projeto, vimos a importância dele e logo fomos favorável ao projeto. Vamos fazer o máximo para que ele seja executado o mais rápido possível. Afinal, o que é bom para Itanhém contará sempre com o nosso apoio”, declarou Robinho. O vice-prefeito Alfim do Nascimento também destacou a importância do projeto. “Sabemos dos problemas que tem em nossa cidade com enchentes. Em alguns lugares de nossa cidade o nosso ria Água Preta, que hoje já está virando um esgoto. Assim, ficamos felizes porque esse projeto pode resolver esses problemas.” Júlio Cezar, da YC Engenharia, se encarregou de apresentar o projeto aos presentes. Ele explicou como vai ser o tratamento do esgoto de Itanhém: “Nosso esgoto agora vai ser separado por duas canalizações: uma para passar esgoto e outra para passar a água da chuva. Hoje passa tudo pela mesma canalização”.

Ainda segundo ele, o esgoto não será mais jogado diretamente no rio. Antes, ele passará por uma estação de tratamento, de modo que a água só chegue ao rio depois de tratada. Já a água da chuva, que é limpa, será jogada no rio sem problema. “O projeto já esta em andamento e tem até dezembro para se entregue. A obra vai ser iniciada quando o governo federal liberar o dinheiro através do PAC 2”, informou Júlio Cezar. Depois os representantes da EMBASA responderam às perguntas feitas pelos presentes, tais como: O povo irá pagar por isso? Resposta: Na Bahia a lei fala que, pelo esgotamento sanitário, o povo paga 80% do valor da água. Por exemplo, se o cidadão paga R$10,00, com a tarifa do saneamento vai passar a pagar mais R$ 8,00, ou seja, R$18,00. Essa tarifa não é para pagar os gastos pela obra, já que o dinheiro vem do governo federal, mas para a manutenção do sistema.

Outra dúvida dos presentes: Como a água e o esgoto serão jogados em localidades diferentes, o que acontecerá se o povo começar a jogar tudo dentro no mesmo lugar? Resposta: O projeto já tem uma verba para fazer a mobilização social, em que haverá um período de conscientização das pessoas. Ou seja, os moradores serão orientados a não jogar as águas no mesmo lugar. Além disso, haverá reuniões com a população para tirar dúvidas sobre o novo sistema de esgoto.

Notícia Postada em 15/09/2011
Comente esta notícia: