Itanhém e Medeiros Neto: Irmandade ou Rivalidade?

 

Itanhém e Medeiros Neto são cidades baianas, situadas no extremo sul do Estado, emancipadas no mesmo dia, qual seja, 14 de agosto de 1958, tendo como prefeitos inaugurais os Srs. Sady Teixeira Lisboa e Celso Neves, de Itanhém e Medeiros Neto, respectivamente. A primeira denominava-se Água Preta e a segunda, Água Fria – ambas eram subordinadas ao município de Alcobaça. As duas cidades têm como base econômica a agropecuária. Durante seus processos de emancipação, elas contaram com o apoio decisivo do então deputado Oscar Cardoso (denominação da principal Avenida de Medeiros Neto e de uma rua em Itanhém), bem como do então prefeito de Alcobaça Deolizano Rodrigues de Souza, seu Dozinho, para os íntimos. De acordo com o censo 2010, Medeiros conta com uma população de 21.419 habitantes e Itanhém com 19.889. Ambas possuem territórios limítrofes com Minas Gerais e são consideradas, com justiça, as “princesinhas” do extremo sul. Recentemente dividiram até mesmo um distrito, o de Santa Luzia do Norte, ou Patioba, como preferirem. Vejam quantas afinidades! Com predominância dos climas quente e úmido, possuem temperaturas medianas, com destaque o friozinho do inverno, intenso nos meses de junho, julho e agosto (nada que um bom chocolate quente ou quentão não resolvam!). Apesar de tudo isso e de possuírem povos com muita identidade, fala-se sobre uma suposta rivalidade existente entre as cidades em questão. Podemos elencar algumas dessas disputas, como a data de aniversário (já que as festas comemorativas ocorrem no mesmo dia), além das conquistas socioeconômicas e culturais. Se Itanhém faz a Janela Cultural, não duvidem que Medeiros Neto também se ilumina e tem luz própria! Para não falar nos festejos juninos. Ah, o São João... Nem o coitado do santo tem sossego nessa época do ano! Uma quer fazer a festa melhor do que a outra, com duração maior e bandas melhores, acirrando ainda mais a competição. Até mesmo a ornamentação natalina destes municípios entra no rol das disputas! Quem nunca saiu de Itanhém para ir a Medeiros no “Piabinha” de Carlito comer bobó de camarão e tomar caldinho de sururu, ir às serestas de Vazinho no Bar do Gordo, ir à Cachoeira da Cerveja ou curtir o São João? E quem nunca saiu de Medeiros para ir a Itanhém fazer uma visitinha ao Danúbio, ao Tivoli, ao saudoso Trailer de Rodrigão, à Cachoeira dos Catábrigas ou à Exposição Agropecuária? Todavia, acima desta rivalidade “quase saudável”, podemos considerá-las cidades irmãs e parceiras, com gestores inovadores que certamente buscam o melhor para ambas. São cidades formadas por gente de bem, povo trabalhador, que se visita com frequência e que, apesar de ainda serem consideradas pequenas em desenvolvimento, certamente nos enchem de imenso orgulho de sermos seus filhos. Simone (simone_debeau@yahoo.com.br) Veja outros textos

Notícia Postada em 06/05/2011 por: Simone de Beau
Comente esta notícia: