“Planejamento Estratégico de Longo Prazo” – 2ª parte

 

A grande maioria dos projetos iniciados em nossa gestão foi planejada com objetivos voltados para o desenvolvimento futuro do Município. Dentre os muitos objetivos traçados, a diversidade da economia do município foi um ponto importante, pelo qual lutamos durante os 4 anos de mandato. Se os prefeitos que vieram depois de nós tivessem continuado com os projetos que iniciamos (Programa de Implantação da Cafeicultura, Programa de Viveiros de Mudas em todos os distritos e povoados, Programa de Distribuição Gratuita de Títulos de Terras para os agricultores, Programa Feira Verde, Programa de Apoio às Associações Rurais de Pequenos Agricultores, Programa de Incentivo ao Assentamento da Fazenda São Geraldo, etc.), tenho certeza absoluta que Itanhém seria um município muito mais rico, estaria gerando milhares de empregos em seu território e seria bem mais próspero! A melhoria da qualidade do ensino municipal foi outra meta que perseguimos com muita persistência. Durante o nosso mandato, 98 professores completaram o curso de Pedagogia, com todas as despesas pagas pela prefeitura, melhorando extraordinariamente a qualidade do ensino no município. Os bons resultados estão repercutindo até hoje, pelo que sabemos! Mesmo quando o prefeito que nos substituiu não deu continuidade ao Programa Uneb 2000 que iniciamos, o apoio dado durante o mandato de Gedeon Botelho foi suficiente para fazer surgir a faculdade atual do Município, tão eficiente, prestigiada e reconhecida em toda a região. Poderíamos citar diversos outros empreendimentos que iniciamos, com objetivos de “mudar a cara do Município”, a médio e longo prazo. O Curso de Auxiliares de Enfermagem (inteiramente bancado pela prefeitura); a Padaria Comunitária (que formou dezenas de padeiros), cujo projeto era ser transformada em uma escola de formação de técnicos em outras áreas profissionais; a formação da Federação das Associações, congregando quase 40 associações dos mais diversos ramos de atividades profissionais, e que ainda hoje faz parte do Conselho de Entidades da Mesovales; a moralização dos serviços municipais através de dois concursos públicos; a fundação da Cooperativa de Credito Rural (Credivale), que conseguiu superar todas as perseguições do prefeito que nos substituiu e trouxe tantos benefícios ao município; a realização das Feiras de Artesanato e Produtos da Terra, etc. etc. Para concluir, afirmo que não existe possibilidade de desenvolvimento para nenhuma instituição (particular, municipal, estadual, federal, etc.), sem uma programação de médio e longo prazo e, principalmente, sem uma continuidade administrativa que possa manter um seguimento das ações iniciadas anteriormente. Infelizmente, a mesquinhez de certos dirigentes políticos (mais politiqueiros do que administradores!), principalmente em nosso município, tem atrasado enormemente o desenvolvimento de Itanhém. Prioritariamente, o que falta é uma visão de futuro, é pensar além do próprio mandato, é continuar os bons projetos iniciados no mandato anterior e, acima de tudo, ser honesto e empreendedor. Oséas Moreira (oseasmlisboa@yahoo.com.br) Outros textos

Notícia Postada em 15/04/2011 por: Oséas Moreira
Comente esta notícia: